Procedimentos


Biópsia Cirúrgica



A biópsia cirúrgica é o método mais tradicional para obtenção de tecido para o diagnóstico histopatológico nas lesões mamárias. Pode ser incisional, quando a exérese consiste num pequeno fragmento e excisional, quando a exérese inclui a totalidade da Tumoração.


Agulhamento: Em lesões suspeitas não palpáveis, a biópsia cirúrgica deve ser orientada por marcação pré-cirúrgica (Agulhamento. O emprego de Agulhamento imprescindível nestes casos, uma vez que o cirurgião não pode ver a lesão a olho nu, aumenta o custo da biópsia cirúrgica. Esta marcação é realizada com o auxílio de imagem (normalmente mamografia ou ultra-som) sendo inserido um fio guia com um ponta em forma de gancho de anzol no centro da lesão e é realizada pelo radiologista antes da paciente ser encaminhada para o centro cirúrgico.


 

O Procedimento

 


A biopsia cirúrgica requer uma incisão de tamanho significativo, com a retirada de tecido que pode variar, chegando ao tamanho e massa aproximados de uma bola de ping-pong. O procedimento é realizado em ambiente cirúrgico com todos o cuidados e riscos envolvidos em um procedimento deste porte.


 

Indicações, Riscos e Resultados da Biópsia Cirúrgica:


A biópsia cirúrgica é considerada padrão-ouro no meio médico pois apresenta uma acurácia de 97-100%. Apesar desta alta acurácia, o método também apresenta desvantagens, descritas a seguir:


Nos casos em que a biópsia a ser realizada é de lesões não palpáveis se faz necessário a marcação pré-cirúrgica ( Agulhamento), que caso não seja realizada e/ou manipulada adequadamente pode resultar em insucesso. Isso pode acontecer por falha durante a marcação, por deslocamento do fio metálico pela movimentação da paciente, ou quando há ruptura ou dano ao mesmo no ato cirúrgico. Alguns estudos clínicos apresentam estes os seguintes índices:

  1. A taxa de insucesso na marcação pre-cirúrgica pode atingir até 22% dos casos;
  2. Em torno de 5% das marcações pré-cirúrgicas ficam uma média de 3 cm ou mais da lesão; outros 1% se tornam desalojados ou quebram-se dentro do tecido antes da cirurgia.
  3. Além disso, a biópsia cirúrgica, por ser um procedimento invasivo, carrega os riscos e desconfortos inerentes a qualquer procedimento deste porte:
  •  Recuperação pós-operatória para biópsia aberta causa desconforto moderado a severo para a paciente e muitas vezes requer a permanência de um dreno no local que necessita ser retirado em alguns dias.
  • O procedimento apresenta uma morbidade moderada relacionada a sangramento e infecção e apesar de pequeno, há risco de mortalidade relacionado à anestesia.
  • Requer um ou dois dias de internação.
  • Risco de deformidade da mama pela necessidade de retirada de uma área e volume grande de tecido para amostra.
  • Presença de cicatriz pós operatória na mama.
  • Tempo demorado entre a definição da necessidade de biopsia e a cirurgia ser realizada o que aumenta a ansiedade e tensão da paciente.

Finalmente a biópsia cirúrgica tem um custo elevado por envolver internação, materiais, honorários de vários profissionais médicos, exames pré-operatórios, etc..


Clínica Dr. Rasmo © 2013 | Av. Getúlio Vargas , 86 - Centro - (34)3236-4931 | (34)3214-3409 - contato@rasmo.com.br Desenvolvido por: