Procedimentos


Biópsia por Fragmento - Core Biopsy



Procedimento desenvolvido nos anos 80  e amplamente difundido comum novo método de biópsia denominado “core”. A core biópsia significa retirada de um fragmento do centro da lesão suspeita na mama. Trata-se de um procedimento minimamente invasivo que consiste na retirada de fragmentos de tecido mamário, utilizando-se dispositivo automático para biópsia


(pistola), através de agulha grossa com diâmetro de 14 e 16 gauge sendo que eventualmente é utilizada a de 12 gauge. Durante o procedimento “Core” a mesma agulha é inserida 4 a 6 vezes na lesão retirando amostras da mesma (e não sua totalidade).


 

Indicações, Riscos e Resultados


A “Core” é indicada nos estudos de lesões suspeitas de malignidade BIRADS 4 e 5, eventualmente, 3 e pode ser guiada por ultra-som ou por esterotaxia (raios x). A utilização da “core” em lugar da biópsia cirúrgica representa uma alternativa com as seguintes vantagens:

  • Não necessita de internação.
  • As complicações são menos frequentes e mais simples, sendo a mais comum hematomas.
  • Causa menor trauma local, com mínimo de lesões cicatriciais que possam gerar imagens psudotumorais em mamografias posteriores.
  • Procedimento rápido e bem tolerado pela paciente.
  • Recuperação rápida.
  • Bons resultados estéticos.

Com o passar dos anos e evolução foram realizadas Revisões de Literatura a respeito do método que salientando que embora todas as lesões com algum grau de suspeição para malignidade sejam passíveis de estudo através da core biópsia, algumas condições impõe limitações à técnica, a saber:


Limitações quando ao tipo de lesão

  • Lesões espiculadas, que requerem completa excisão para segurança diagnóstica. B4 ou B5
  • Microcalcificações em áreas extensas ou não caracteristicamente agrupadas ou em áreas com gordura.
  • Microcalcificações agrupadas, ocupando área < 5 mm. B4 ou B5.

Limitações quando à localização da mama:

  • Lesões muito superficiais, pois a agulha pode não atingir corretamente a lesão.
  • Lesões localizadas na região retroareolar (no caso de esterotaxia).

Limitações quanto ao tamanho da mama:

  • Mama pequena ou com espessura igual ou menor que 2 cm, após a compressão, uma vez que a agulha pode transfixar o lado oposto da mama.

Limitações quanto à paciente:

  • Paciente muito agitada, que não consegue permanecer imóvel ou que não suporta compressão da mama.
  • Pacientes em uso de Aspirina ou anti-coagulante.

Na core biopsy o fato de haver repetidas inserções da agulha fazem com que o tecido se torne gradativamente degradado pelo encharcamento com sangue, que caso não drenado de forma adequada pode causar hematomas.


A biópsia “core”apesar de apresentar resultados precisos para massas e nódulos, apresenta resultados insatisfatórios quando aplicada a lesões não palpáveis como microcalcificações, fazendo com que muitos profissionais fiquem incomodados com a possibilidade de um falso negativo. Falsos negativos foram relatados em até 8% dos casos de biopsia “core”. Há trabalhos que indicam que os procedimentos com “core” apresentam:

  • 56% de subestimação nos casos de Hiperplasia Ductal Atípica (HDA).
  • 20% de subestimação nos casos de CA in Situ.


Durante o procedimento de biopsia “core” a agulha é inserida 4-6 vezes na lesão para retirada de múltiplos fragmentos. A agulha “core” remove apenas uma amostra da lesão, o que pode dificultar o diagnóstico. Este método pode não ser adequado para pacientes com massas muito pequenas, microcalcificações e massas duras.


Clínica Dr. Rasmo © 2013 | Av. Getúlio Vargas , 86 - Centro - (34)3236-4931 | (34)3214-3409 - contato@rasmo.com.br Desenvolvido por: